Envelope

É ele que abriga o ar quente para que possamos voar.

É ele que abriga o ar quente para que possamos voar. Ele é feito em nylon " rip-stop " e com uma impermeabilização feita com resina para fechar as porosidades do tecido de modo a não permitir a passagem do ar. 

Para fabricar um balão de 16m de diâmetro são necessários 1.000m2 de tecido e muitos quilômetros de costura, a linha utilizada é de nylon de alta tenacidade e a sua construção é feita em gomos emendados em vários painéis, além de receberem fitas de nylon vertical e horizontalmente para reforçar a estrutura do envelope. 

As fitas verticais dão a sustentação ao balão, sustentando todo o peso do equipamento enquanto o tecido servirá somente para "envelopar" o ar quente em seu interior. Os painéis da boca do balão são feitos de "Nomex", um tecido anti-chama, usado também em roupas para bombeiros e pilotos automobilísticos. 

No mundo inteiro, os balões estão sendo continuamente desenvolvidos e melhorados, variando bastante em detalhes. Nos últimos anos, os fabricantes chegaram a um tipo quase padronizado - o de abertura por pára-quedas (Tap), atualmente o sistema mais seguro em vôo. 

A carga da gôndola é sustentada por cabos de aço inoxidável, fixos a fitas de nylon verticais, costurados ao tecido do balão, envolvendo-o completamente. Desta forma, o material do envelope propriamente dito sofre um esforço de tensão muito reduzido, dando um fator de segurança de pelo menos 10:1. 

No topo do balão há um painel circular (Tap ou pára-quedas), que é mantido por cabos de guia radiais que podem ser puxados pelo piloto através de uma válvula (fita tubular com cabo de aço por dentro), afastando o pára-quedas do balão, deixando assim escapar o ar quente, tanto durante o vôo (para perder a altura), como após ou durante a aterragem (para esvaziar o envelope). 

Se utilizado em vôo, o pára-quedas volta a fechar automaticamente quando a corda é solta.